Novo

Desconstruindo Paulo Freire

49 reais con 90 centavos

em 6x 9 reais con 22 centavos

Anúncio pausado

Características principais

Título do livroDesconstruindo Paulo Freire
AutorSANTOS, THOMAS GIULLIANO FERREIRA DOS
IdiomaPortuguês
EditoraHISTORIA EXPRESSA
FormatoPapel
MarcaHistoria Expressa

Outras características

  • Cobertura: Mole

  • Tipo de narração: Manual

  • ISBN: 6588627009

  • Páginas: 457

Descrição

"Há três anos era lançado o “Desconstruindo Paulo Freire”. Após esse tempo, considerei necessário acrescentar novos textos nessa discusso teórica em torno do pedagogo mais conhecido de nosso país. Sintetizo essa necessidade como uma inquietaço intelectual de querer materializar em um livro as novas pesquisas que realizei acerca da pedagogia de Paulo Freire.

Na época em que pela primeira vez me deparei com os escritos de Paulo Freire, ainda no tinha o entendimento de sua repercusso. Ao longo desses anos de estudos, entendi que muitos que o criticam esto certos, mesmo desconhecendo o porquê. Gradativamente, percebi, leitura a leitura, que Paulo Freire é a personificaço de que o nosso contemporâneo vive uma realidade paralela dos sentidos. Também descobri que as análises acerca da pedagogia freireana descoladas de uma massa amestrada ocupam a condiço de demanda intelectualmente reprimida. Pertence a Paulo Freire o título de mentira selecionada que entrou para os anais permanentes das verdades tupiniquins. Em nosso estado de barbárie social, passou a ser tratado como a síntese de uma pluralidade, homem que congrega um conjunto de virtudes singulares, sinônimo de objeto inimputável, intelectual travestido de paladino das massas.

Apesar de Paulo Freire ser um autor entediante, ao longo dos últimos meses, entendi que seria insuficiente deixar à disposiço dos leitores apenas a verso de estréia do “Desconstruindo Paulo Freire”.

Esta nova ediço mantém as versões de todos os seus textos inaugurais. Esse método é motivado pela crença historiográfica de que eles so evidências de um tempo com história e representaço próprias. Uma vez que o passado existe enquanto realidade temporal, no me agrada mutilar qualquer fonte histórica em busca de uma pretensa evoluço investigativa. Prefiro escrever um novo texto a ter que alterar o material passado, independentemente de o escrito ter mais doses de erros ou acertos, pois, pensem comigo, tanto uma retrataço quanto um aperfeiçoamento geram um novo texto. Percebam que caso eu mudasse o artigo “O patrono do pau oco”, ou qualquer outro escrito, perderíamos um texto original. Teríamos novos textos, melhores ou piores, mas no seriam os mesmos. Seus períodos de composiço passariam a ser suplantados em busca de melhorias que comportam alguns limites. Palavras seriam substituídas, complementos teóricos desenvolvidos. No considero isso justo com o que realizei editorialmente. Prefiro preservar até as páginas que explicitam a minha inquietude em desconstruir o patrono da educaço de meu país logo em minha estréia editorial. Com esse entendimento, os esforços para a composiço dos textos originais foram preservados. Como diz o historiador francês Paul Veyne: “O co que é atropelado neste dia no é aquele que foi atropelado na véspera”.

No fim das contas, tentei aprimorar os questionamentos sobre o método de Paulo Freire e a sua forma de conscientizar o aluno. Acredito que consegui."